Amores Natalinos ❄❤

23 de dezembro de 2017

Olá pessoas queridas do meu coração!

Bom, primeiramente, eu gostaria de desejar um feliz Natal para todos vocês!

Então, eu fui agraciada com a honra de poder fazer as primeiras impressões desse lindíssimo livro de contos natalinos cheios de amor! Eu fiquei alegremente responsável pelo conto da Michelle: “A Primeira Neve”.

O que eu tenho a dizer sobre este conto é que me bastaram as primeiras páginas para que o meu coração kpopper/dorameiro se apaixonasse! E eu tenho certeza que de que as kpoppers/dorameiras/leitoras vão se apaixonar por ele também, porque “A Primeira Neve” é a realização dos nossos sonhos mais DOURADOS!!!

O conto se passa em Seul, capital da Coréia do Sul, e conta a história de Yeol e Anna.

Tudo começa na véspera de Natal, com nosso protagonista –Yeol—andando pelas ruas da linda Seul enquanto caía a primeira neve daquele inverno. Ao contrário de muitos, Yeol não estava contente com aquilo tudo. Cada floco de neve que caía, provocava uma dor imensa no coração do nosso rapaz. Naquela véspera, fazia um ano que Yeol e seu grande amor Anna estavam separados.

Ele volta para casa naquela tarde, onde morava com seu colega de quarto Tae. Yeol praticamente o ignora e vai para seu quarto trancando a porta, se joga na cama e chora até adormecer abraçando um porta-retratos que guardava uma foto dele e Anna juntos.

Logo, voltamos um ano na vida de Yeol para descobrirmos o que aconteceu. Novamente, véspera de Natal, Yeol pula da cama e se depara com Anna fazendo panquecas – Anna é brasileira. Após um café não muito agradável, por causa de uma confusão causada por canela, ambos vão trabalhar.

Yeol trabalha em uma empresa que tem praticamente só homens, exceto por Maria – também brasileira. Ela, mesmo tendo Yeol como seu superior, já havia arriscado umas cantadas, porém Yeol nunca deu ideia. Nesse dia, depois de Anna gentilmente levar o almoço para ele, no fim do turno, nosso rapaz estava saindo para encontrar Anna para verem os fogos como fazem todos os anos, quando reparou que Maria tinha deixado as chaves em cima da mesa, as pegou para devolver e foi.

No caminho se lembrou do bolo que sempre comprava para Anna no Natal e foi procurar por um mas todos já haviam sido vendidos. Quando chegou no ponto de encontro com sua namorada, ela ainda não estava lá, então ele reparou numa moça doando alguns bolos pois suas caixas foram danificadas durante a entrega. Como era a única opção, Yeol pegou um deles.

Enquanto esperava por Anna, telefonou para Maria e disse que ele estava com as chaves dela, Maria agradeceu e disse que iria buscar. Yeol entregou as chaves para ela que agradeceu, perguntando porque o bolo estava tão amassado e o que ele estava fazendo ali, Yeol explica a situação a e diz que estava esperando por Anna, sua namorada. Maria diz que havia visto um senhor vendendo bolos perto dali e oferece gentilmente o levar até la.

Nosso protagnista fica tão contente que oferece o bolo que estava em suas mãos para a moça em forma de agradecimento. Maria pega o bolo, e aí faz algo que Yeol não esperava. Ela se inclina e tenta o beijar, e quando seus lábios se tocam levemente, nosso rapaz se afasta a encarando com raiva, mas por um infortúnio do destino, nesse exato momento Anna estava à apenas alguns metros, o encarando com os olhos cheios de lágrimas.

 

E aí? Ficou com o kokoro apertado de raiva dessa Maria? (Eu fiquei). Quer saber como termina essa história digna de um dorama? O que você acha? Yeol consegue recuperar Anna ou vai passar os outros Natais se lembrando deste infeliz mal entendido?

Você encontra o livro clicando aqui.

Amores Natalinos está cheio de contos como este, que vão mexer com o seu coração, e sabe o melhor? Duas das autoras são meninas aqui do blog!  Vanessa e Binha! E eu fico imensamente feliz de ter esses dois sucessos na minha vida! Parabéns para todas as meninas!!!

 

– Anna – deixei seu nome escapar pelos meus lábios e a dor fluir pelo meu peito.
Minha mão vai involuntariamente até meu celular e encaro seu nome na agenda. Meu corpo inteiro se corrói com a vontade de ligar para ela, ouvi sua voz. Mas nem isso eu posso fazer.
Olho a para a minha mão tremula e sinto meu coração quase pulando do meu peito que já doía com tantas batidas fervorosas. Mesmo depois de um ano eu ainda não consegui esquecer de você.
– Eu sinto tanto a sua falta, me sinto tão sozinho sem você minha doce Anna. – Falo baixo com o coração inundando de arrependimento por aquele último natal que passamos juntos.

Deixe seu comentário


2 Comentários