Garota em Pedaços – Kathleen Glasgow

17 de junho de 2017

Garota em Pedaços
Autora: Kathleen Glasgow
Editora: Planeta
Ano: 2017

Além de enfrentar anos de bullying na escola, Charlotte Davis perde o pai e a melhor amiga, precisando então lidar com essa dor e com as consequências do Transtorno do Controle do Impulso –um distúrbio que leva as pessoas a se automutilarem. “Viver não é fácil. ” Quando o plano de saúde de sua mãe suspende seu tratamento numa clínica psiquiátrica – para onde foi após se cortar até quase ficar sem vida –, Charlotte Davis troca a gelada Minneapolis pela ensolarada Tucson, no Arizona (EUA), na tentativa de superar seus medos e decepções. Apesar do esforço em acertar, nessa nova fase da vida ela acaba se envolvendo com uma série de tipos não muito inspiradores. Cansada de se alimentar do sofrimento, a jovem se imbui de uma enorme força de vontade e decide viver e não mais sobreviver. Para fugir do círculo vicioso da dor, Charlotte usa seu talento para o desenho e foca em algo produtivo, embarcando de cabeça no mundo das artes. Esse é o caminho que ela traça em busca da cura para as feridas deixadas por suas perdas e os cortes profundos e reais que imprimiu em seu corpo.

Preciso falar, colocar no papel, gritar para o mundo o quão belo e cruel é esse livro.
Real e surreal define perfeitamente a história descrita nessas 378 páginas.
Como sempre, escolhi pela capa. Trabalho ao lado de um shopping, onde almoço todos os dias e sempre gasto uns minutos namorando alguns livros na Saraiva, mas nessa semana quando entrei meus olhos encontraram essa belezura.
Adorei a simplicidade do rosa, os riscos vermelhos em relevo e a fonte borrada. Segurei ele, folheie devagar e me entreguei a sinopse.
Pensei por um momento, o valor não estava atrativo…mas levei!

“Que história você tem para contar, raio de luar?

Temas ligados a depressão está em alta, sabemos disso, porém o que te leva a ler esse livro é a escrita que te faz esquecer de tudo que esta ao seu redor. Você esta na mente de Sue Silenciosa, a Charlie e precisa saber mais sobre automutilação.

Charlotte é uma adolescente que já teve seu limite de sofrimento nessa vida, a mente já esta fragilizada, destruída com os acontecimentos do destino. A solução? Causar mais dor a si mesma do que a vida.

O livro é muito reflexivo, te faz encarar uma realidade que pode não ser a sua ou ser, mas esta lá enraizado na sociedade, e ai você se pergunta: Por que?
Eu ainda estou me perguntando o porque. Mas é um porque retorico.

“Tudo e todos que estão estragados tem conserto. Bom, é isso que eu acho.”

 

Kathleen Glasgow foi perfeita no desenvolvimento do enredo, de início ela te leva ao mundo do hospital psiquiátrico em que Charlie está internada (o que me lembra muito de Garota, interrompida) e convive com outras garotas que cometem automutilação.

Nas próximas páginas, acompanhamos a rotina de Charlie e a luta dela para continuar na superfície, pois a todo estante a dor a puxa para as profundezas, os cortes em seus braços a lembra que deve ficar submersa.
A vida é ruim com Charlie novamente e ela recebe “alta” , mas ela não precisava de alta.

“ E quando chegar no lugar para onde esta indo, os dias vão ser de luz e sol para sempre tá?”

Sozinha.
Ela está sozinha e não sabe como viver.
Ela sabe que precisa de ajuda.
Ela quer ajuda.
Nessa altura eu já estava vidrada na história, a escrita é e não é previsível. Charlie parece tão ferrada que você acredita que a autora vai fazer o clichê “ deu a volta por cima”, mas em uns momentos você só espera o trágico final para alguém que não tem mais jeito.
Difícil imaginar alguém se ajudando quando não sabe por onde começar ou como começar. Sempre existem pessoas bondosas para te ajudar, mas tem aquelas com os mesmos velhos hábitos que os seus e então você se encontra no carrossel da vida.

“ Tem a pessoa que os outros veem por fora e tem a pessoa por dentro. E mais no fundo, tem aquela outra pessoa, a enterrada, uma criatura nua e silenciosa, que não está acostumada com a luz.”

QUE LIVRO! Valeu cada centavo, cada segundo, cada lágrima…Leia e você nãi vai se arrepender.

Até a próxima.

91 Comentários