K-Drama – Perfect Wife

5 de julho de 2017

Sinopse: Sim Jae-Bok é casada e tem dois filhos. Em razão dos tempos difíceis que passou, ela tem um mal temperamento. Inesperadamente ela se envolve em um caso e começa a reconquistar seu verdadeiro eu.

Episódios: 20

Hey, dorameiros do TMLQA.

Gente, estou jogada no chão enquanto escrevo essa resenha, sentindo como se tivesse levado um soco na cara.

Que drama é esse, minha gente? Meu primeiro dorama de suspense.

Me ofereci para assisti-lo junto com a nossa outra dorameira do blog, a Aline. e custei para completar os dois primeiros episódios. Agora estou quase comendo os dedos das mãos e dos pés de nervosismo.

O primeiro ep já começa com a Sim Jae-Bok saindo do ônibus e dando de cara com uma defunta. Bem, até ond a gente sabe a Na Mi tá morta. Acontece que a mulher encontrada morta é a amante do marido da prota, a Sim Jae-Bok.

Como vocês podem imaginar, todas as suspeitas recaem sobre ela, sendo que a pobre coitada, além de traída, não faz a mínima ideia de quem é o assassino.

À partir daí começamos a acompanhar a vida da Shim. Ela tem que lidar com a traição do marido, com o fato de que ele é um péssimo profissional, de que eles precisam mudar de casa e ainda com sua carreira. Além de mãe em período integral, ela estagia em um escritório de advocacia.

Logo no início do dorama, ela é mandada embora do serviço junto com o advogado que era seu chefe, Kang Bong Go (mais um Oppa pra vida).

Procurando uma casa nova para morar, uma pessoa com quem ela conversa por anos na internet a oferece uma casa imperdível. Quando ela visita o local, conhece a dona, Lee Eun Hee. E então, amigos, segurem os forninhos aí porque começa a sequência de acontecimentos super estranhos envolvendo as duas.

Praticamente pra todo lugar que a Shim vai ou olha, Lee Eun Hee está lá. É nesse ponto que você começa a se assustar e se perguntar que nível de stalker e psicopata ela é. Mas a Shim é meio cabeça dura e resolve se mudar pra casa dessa doida aí.

Os dias vão se passando e fatos mais e mais estranhos começam acontecer. A inquilina parece querer se tornar mãe dos filhos da Shim, e demonstra uma atração pelo marido (ex) dela. A maluca tem um poder de persuasão tão grande que consegue até mesmo fazer com que o filho da Shim se apaixone por ela.

No decorrer da trama detalhes sobre o passado das personagens centrais são revelados em flashes, explicando a razão de muitos dos acontecimentos, que eu não posso mencionar a fundo porque daria spoilers pra caramba.

Eu tô com um sério problema pra falar desse dorama, mas acho que encontrei uma frase que pode explicar mais ou menos a situação: quem você acha que é, não é, mas quem você não acha que é, também não é, ou é. Talvez, não sei. Foi ridículo, eu sei.

A coisa é o seguinte, a história dá umas reviravoltas muito loucas, você nunca vai terminar o episódio pensando o que pensou no anterior. Vai brotando gente do passado deles, pessoas sendo descobertas, e umas tretas, que você fica tipo “oi?”. E qualquer coisa que eu fale aqui vai ser um spoiler.

É uma mistura de marido, ex-marido, mãe vagabunda, irmão desaparecido, mãe em hospital, e por aí vai…

O que posso falar de concreto pra vocês é que o Bong Go é um amor pra vida toda que fica do lado da Shim em todos os momentos, de um jeito que você torce loucamente pelo ship.

E que as amigas dela são as mais leais que já vi na história dos doramas. Acontece um triângulo amoroso envolvendo elas e o advogado que vira o chefe do Bong Go, o Hong Sam-Gyoo, que é uma verdadeira comédia.

E velhyooooooo, o ex marido da Shim é podre! Que vontade de socar aquele cara contra a parede. Ele é um frouxo, que aceita ser subornado, trai a família, o cara não dá uma dentro, É feio dizer isso, mas sim, torci pra morte dele, do mesmo jeito que torci para que a Lee Eun Hee queimasse no mármore dos infernos.

Não posso dizer que não fui atendida nesse quesito. Hehe

Bem, espero que tenham gostado.

Até a próxima

Beijinhos =*

 

3 Comentários