K-Drama Tunnel

6 de Março de 2018

Annyeonghaseyo

Olá

Gente doremeira, estou eu aqui novamente. AWEEE! \O/
Hoje trouxe esse maravilhoso dorama da nossa nova emissora do coração a OCN, que tem nos mantido bem ocupados esses dias, né. Os dramas que estão produzindo são cada um melhor que o outro, então, assim que terminei Voice(juro que trarei uma resenha sobre esse aí, também) já estava totalmente empolgada para ver Tunnel, e quando fiquei sabendo que o enredo envolve mistério e serial killer e tudo com um fundo de verdade, então, não teve acordo fui logo me programando para começar mais um DRAMÃO.
Nos anos oitenta há meados dos noventa alguns assassinatos aconteceram na cidade de Hwaseong e é daí que baseia-se todo o plot.
Tunnel é aquele tipo de drama que te prende desde os primeiros quinze segundos, com um monte de mistério e personagens cativantes. Gente, é sério eu não conseguia esperar os episódios, ficava numa agonia só.
Como a trama é um pouco complexa, por motivos éticos(muita gente que eu conheço despreza spoiler) serei breve e não vou me aprofundar muito nos personagens.

Enredo

Em 1986, Detective Park Gwang-Ho tenta desesperadamente pegar um assassino em série e ao persegui-lo ele atravessa um túnel, e ao chegar do outro lado ele descobre que se passaram 30 anos e que está agora em 2017. Agora o assassino em série retomou os assassinatos e para tentar pegá-lo dessa vez ele volta ao seu antigo trabalho, mas desta guardando um segredo. E nessa nova tentativa o Gwang-Ho recebe a ajuda do Detetive Kim Sun-Jae e da Professora de Psicologia Criminal Shin Jae-Yi.

Pronto, agora que você já conhece mais ou menos a história vou começar e se segura que o negócio é bem louco.

O detetive e sargento criminal da estação de polícia de Hwayang, o Park Gwang-Ho (Choi Jin-Hyuk) desaparece misteriosamente em 1986 após ir em perseguição de um até então criminoso suspeito de assassinato. Sua última aparição foi próximo a um túnel nas imediações e não foi mais visto. “Olha só como ela está. Acho que acabei adquirindo alguns hábitos. rsrsrs


Assim que atravessa o túnel, ele percebe que algo estranho está acontecendo e a cidade também está diferente, após alguns passos ele descobre que passou por um ‘’Túnel do tempo’’ (socorro, fiz um piada sem querer) e se passaram trinta anos. Gwang-ho deixou sua mulher grávida e tudo que tinha para trás, inclusive sua identidade, até porque já se passaram trinta anos ele teria que ser um velho, e mesmo assim, a verdade é que ele desapareceu e foi dado como morto.
Certo, agora ele tenta retomar as investigações e vai lá na delegacia onde trabalhou e tenta se inteirar sobre o caso, que já tinha sido fechado a muito tempo. E na tentativa de reabrir o caso ele acaba se passando por um agente que desapareceu ao investigar crimes que aconteceram e que tem muita semelhança com os de trinta anos atrás.

As cenas do Park tentando usar a tecnologia atual é realmente divertida, eu me acabava com ele mexendo no celular.

Ao voltar para a delegacia o Kwang Ho vai trabalhar com o Kim Sun Jae (Yoon Hyun Min) um detetive durão e sério, que entrou para a polícia por um único motivo, pegar o assassino que matou sua mãe. E é aí que as coisas do passado realmente começam a entrelaçar com as do presente.
Amei como a relação dos dois foi crescendo ao longo da história, no começo era puro ódio mesmo, eles viviam brigando e disputando um com o outro, até que eles acabam se tornando amigos. Gente, eles são tão parecidos que as brigas dos dois acaba tornando tudo muito cômico.

Assim que os acontecimentos vão sendo mostrados a vida do Sun Jae vai também é contada e vemos que ele tem muita relação com o nosso protagonista.

Uma das coisas que mas me prendeu foi a forma como os personagens montam do futuro vão tomando forma e como todos tem ligação com o passado. E eu como uma boa espectadora de séries policiais já estava formando altas teorias de conspiração e me roendo com tudo.

A terceira e não menos importante da personagem da trama é a professora Shin Jae Yi (Lee Yoo Young). Ela é professora de psicologia criminal em uma universidade e a que mais me assustou, por ser muito fria e durona. As cenas que mais me empolgavam era as que ela falava da visão dos assassinos e como eles viam o mundo e todos os atos deles perante a sociedade, isso foi muito bom, e tremendamente fascinante.

Daí em diante os três se juntam e vão em busca de provas para encontrar o serial killer que agora já era um homem mais velho e que poderia ser qualquer pessoa e até mesmo trabalhar entre eles. (Deixei uma pulga atrás da sua orelha agora, né?)

A imagem que esse dorama deixou foi excelente, fiquei super empolgada e muito atraída aos acontecimentos e ainda tem aquele suspense de que o Park Gwang-Ho volta ou não ao ano de 1986. O interessante é que eles não deixaram nada para trás, fazendo que até um pequeno pingente fosse lembrado, coisas pequenas que às vezes passam despercebidas, foi um nó que ligou muita coisa durante a novela. Perguntas que surgem serão respondidas e algumas me fizeram chorar e muito.

Foi um dorama que me chama a atenção até hoje, sempre indico para amigos que não assistem doramas mas que gostam de suspense policial.  Ele tem tudo para ser um dramão daqueles,e mesmo assim não vi muitos comentários sobre ele. 
Os dramas da OCN vem tomando espaço e não é pra menos, as cenas são bem elaboradas, fortes, com muito sangue e violência.
Não poderia deixar de falar da OST que me deixou maravilhada, muitas músicas dos anos oitenta, juntou com o ar das filmagens que nos deixou tudo com um ar vintage maravilhoso.

Espero que gostem.