” O Lado mais Sombrio” de Morfeu – Resenha do livro de A. G. Howard

, Livros

O Lado Mais Sombrio

A Mariposa no Espelho ( Conto )

Atrás do Espelho

Ensnared ( Ainda sem título em português, lançamento em 2016)

Untamed ( Sem previsão de lançamento e sem titulo em portugês)

   Alyssa Gardner, não consegue evitar, ouve os pensamentos de flores e animais ao seu redor. Até consegue esconder as alucinações, mas sabe que o seu fim é em um sanatório, junto com sua mãe, como acontece com todas as mulheres de sua família desde que Alice Lidell, sua tataravó, contou a Lewis Carrol seus sonhos e devaneios, que inspiraram o famoso livro Alice no País das Maravilhas. Mas e se, somente se, as histórias daquela Alice não fossem apenas devaneios? O único jeito de quebrar essa maldição de insanidade da família, é se Alyssa atravessar a toca do coelho e concertar os erros que sua tataravó cometeu quando esteve lá na primeira vez. Ela leva com sigo, um amigo do mundo real, o super protetor Jeb, mas quando sua jornada começa, ela se vê dividida entre o familiar humano, e o perigoso  intraterreno Morfeu, seu guia naquele mundo repleto de seres familiares e ao mesmo tempo estranhos e cheios de segundas intenções, um mundo onde nada é o que parece, nem ela mesma.

 

Sinceramente, a narração é um pouco repetitiva, Alyssa as vezes é um pé no saco e Jeb é simplesmente o personagem mais entediante conhecido, porém, há Morfeu, sim o cara com asas, uma mente sagaz e língua afiada. Ele é selvagem e sombrio, irritantemente irônico, e por mais que pareça mais uma definição para Morfeu, também serve perfeitamente para esse País das Maravilhas muito bem reestruturado que dá um novo significado para a frase ” Nem tudo é o que parece”.

” Ainda vejo as flores se metamorfoseando em monstros perante nossos próprios olhos, como disse Jab, este não é o País das Maravilhas que Lewis Carroll criou.”

No quesito romance, a coisa é clichê, tipo, clichê ao extremo, quase redefinindo o termo clichê; a menininha zero a esquerda é apaixonado pelo melhor amigo gato, que por sua vez é o namorado da inimiga megera, então ela descobre que tem poderes mágicos e um destino fabuloso, ou desastroso e ai… Morfeu!

“Misterioso. Rebelde. Problemático. Todas as coisas que mulheres acham irresistíveis.”

Sério, e ai Morfeu mesmo, Alyssa só fica interessante ao lado dele – e é claro que há no livro uma constatação perfeitamente plausível para isso,mas poderia ser considerada spoiler – , tão interessante, que quase apaga o brilho das peripécias de sua tataravó. Morfeu é sem sombra de duvidas, um dos personagens mais bem estruturados entre estes novos livros de literatura fantástica, quase, QUASE ganhando de Adrian Ivashkov ( Séries Academia de Vampiro Laços de Sangue, Richelle Meed). Morfeu é real,a mente por trás de tudo. Ele é um gênio do mal com tendencias do bem, mas que quando faz o bem, se dá mal, a alma da história de Howard e  atual dono de coração de muitas leitoras por ai.

“Coleciono insetos desde os 10 anos de idade, foi o único jeito que encontrei de silenciar os sussurros. Espetar um alfinete em sua barriga os silencia rapidamente”

Psicologicamente, e fisicamente alterados, e a pesar de todo esse tempo, estão todos lá, a Lagarta, o Gato de Cheshire, a Rainha de Copas, o Chapeleiro Maluco, o Coelho Branco. Todos eles com este lado mais sombrio tentador, pintados com um tom a mais de insanidade. Perfeito para este novo velho mundo de Howard.

“Estou começando a apreciar a loucura. Isso não é bom, não mesmo.”

Pensando bem, se Alyssa ou Jab fossem personagens realmente interessantes,o mundo magnifico seria desbotado na visão o leitor, então apenas nos resta, se deleitar com a magnificência da historia e Howard e seu enredo magnifico após superado o começo ultra clichê.

Sobre a capa? Inegavelmente MARAVILHOSA. Diagramação que não deixa a desejar e super confortável só para ser completada com páginas cheias de misticismo.

 

Um livro que fará até o mais relutante se apaixonar por essa “continuação” do clássico.

um Comentario

Deixe uma resposta