Resenha: Os pés de Carolina

27 de junho de 2018

 

Hoje quero indicar um livro àqueles que são amantes de diários e que gostam de ler uma estória bem detalhada.

“Os pés de Carolina” se passa na Vila do Almirante. No dia 1° de Maio de 1981, Carolina escreve sua primeira carta dedicada à “Querida Dança”. Ali ela descreve como foi seu dia com a dança e declara todo seu amor pela mesma. Não consegue se separar de modo algum.

 

 

“Não consigo encontrar em outro lugar tamanho prazer que você me traz, mesmo procurando nos estudos, garotos, até em animais de estimação.”

Foi num dia de junho que Carolina ouviu seu pai dialogar de uma forma grosseira. O que seus pais não esperavam é que Carolina poderia ouvir o que era dito na conversa. O que ouviu não foi nada prazeroso. Ela sente que a fala do pai chega ao ápice da violência quando ele se pergunta como arcará com as contas de casa e ainda com a mensalidade da escola de dança.

A preocupação de seu pai era com a crise trabalhista que estavam passando no momento. Tinha medo de perder seu emprego e não conseguir coordenar todas as despesas que “são impostas ao homens”.

Mas ao decorrer do livro somos surpreendidos com as atitudes tomadas por todos os personagens! (Menos a mãe de Carolina, ela não aparece na estória, a não ser quando seu marido reclama das contas). Até aqueles personagens dos quais você não espera mais nada acabam te surpreendendo de tal maneira que você é capaz de partir do ranço ao amor.

Este livro me ensinou o quanto devemos ser perseverantes naquilo que queremos. Podemos estar perdendo todas as esperanças, mas sempre devemos perseverar! Quando Carolina pensava que já não tinha mais jeito, seu sonho foi realizado!

Deixe seu comentário