Resenha # Por Lugares Incriveis

29 de julho de 2016

Por Lugares incríveis
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
por luloadSinopse: Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver.
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Senti-me incrivelmente apaixonada na primeira vez que vi essa capa. Não sei dizer o porquê, mas a simplicidade que o garoto se joga e delicadeza da menina com os braços erguidos encantou meus olhos e logo me vi na fissura para ler essa história.
Li com calma (o que é difícil. –Risos-), apreciei cada trecho e fui transformada com essa leitura.
A autora descreve de uma forma singular a vida de um adolescente com a mente suicida. Não é dramático, não é problemático, é simples e delicado. Você tem 336 páginas para conhecer melhor Theodore Finch , um jovem que tem uma família estranha e vive como um garoto estranho. Certo dia conhece Violet, uma garota popular que tem uma boa família mas esta sofrendo e tenta se matar. Ao contrário dela, Finch não é triste, mas também não é feliz. É ai que se inicia essa instigante leitura.

“Imagino Violet em casa, do outro lado do computador, a boca perfeita esboçando um leve sorriso para a tela, apesar de tudo. Violet sorrindo. De olho no computador, pego a guitarra, começo a inventar palavras, a melodia logo em seguida.
Ainda estou aqui, e sou grato por isso, porque senão perderia este momento. Às vezes é bom estar desperto.”

Iniciamos Por Lugares incríveis acreditando que será mais uma leitura intensa, com problemas reais e superações. Mas ao decorrer da história você se envolve emocionalmente com as bipolaridades de Finch e começa a enxergar o outro lado da depressão.
Sabemos que ha centenas de pessoas que sofrem algum tipo de depressão e “quase” sempre acusamos que a pessoa esta se fazendo de vítima. Finch mostra que não é vítima, que não é doido, é apenas um garoto que pesquisa maneiras de se cometer um suicídio e enquanto isso ajuda uma garota que tentou o suicido por mero desespero a encontrar as maravilhas de viver.
A Jennifer criou uma relação sensacional entre a alegria e a tristeza, um enredo lindo e aflitivo, em vários momentos você vai sentir em uma montanha russa de emoções.

“- Sabe o que gosto em você, Finch? Você é interessante. Você é diferente. E consigo conversar com você. Não deixe isso subir à cabeça.
O ar parece carregado e elétrico, como se tudo – o ar, o carro, Violet e eu – fosse explodir caso alguém acendesse um fósforo. Mantenho os olhos na estrada.
– Sabe o que gosto em você, Ultravioleta Markante? Tudo.”

O livrou mudou a minha mente quando me mostrou que nem sempre o ato de loucura é loucura. É tudo questão de semântica.
Chorei em vários momentos e digo que irei chorar sempre que me lembrar dessa bela historia.
Eu dou nota 10, indico para que você compreenda que é mais fácil entender uma pessoa do que julga-la, porque nem sempre ela esta tendo uma ação desesperada.