Resenha – A Espada de Vidro

, Livros

Espada de Vidro
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte

A aguardada sequência de A Rainha Vermelha, Espada de Vidro, traz muitas opiniões quanto ao seu desenvolvimento.
Em seu primeiro livro, Aveyard nos apresentou o mundo de prateados e vermelhos, estes últimos sendo tratados como inferiores por não ter poderes especiais. Nele, a protagonista, Mare Barrow descobre que mesmo tendo o sangue escarlate possui o dom de controlar e criar eletricidade. A partir desse momento a heroína não tem mais um minuto de sossego, tentando disfarçar-se de prateada e convencer a sociedade, conhecendo mais a fundo seu misterioso dom enquanto ajuda a guarda escarlate a tirar o povo vermelho do domínio prateado.
Depois disso, nós já sabemos da história que terminou nos deixando sem fôlego e aguardando ansiosamente pelo segundo livro.

A máxima evocada continua sendo “todo mundo pode trair todo mundo”. Mare continua abalada pela traição do então rei Maven. Não só como parceiro dos rebeldes vermelhos quanto como seu noivo quando assumia o papel de Mareena Titanos. A autora também trabalhou muito na questão do aprofundamento e dimensionamento dos poderes da garota elétrica, além do conhecimento de mais sangue novos, outros vermelhos com habilidades especiais.

O livro tem em seus doze primeiros capítulos uma teor mais lento e arrastado, diferente do carrossel de emoções do primeiro livro, com poucos diálogos e muita reflexão acerca dos acontecimentos que marcaram a protagonista.
Mesmo assim a leitura foi válida, o livro trata-se bastante da evolução de Mare como heroína, sua relação com o poder que tem. Ela nos deixa, por vezes, com raiva devido ao se considerar “mais valiosa que todos os outros”.

“Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.”

Também vale muito a pena ressaltar que esse livro foi uma porta para conhecermos mais a Guarda e como ela se movimenta, conseguimos ver a personalidade de outros personagens e como eles impactam a Mare, além de novos personagens de poderes diferentes.
Cal, o príncipe exilado, está confuso. Depois de ser traído pelo irmão tão amado e odiado por toda a Norta, ele se vê impelido a ajudar a guarda, contradizendo seus pensamentos de quando era o herdeiro da coroa flamejante, tanto para desmascarar Maven e a rainha Elara quanto por Mare. Então, depois de uma conversa, digamos, não poderia ser ignorada, eles fazem esse trato. Ele é essencial pelos conselhos e, por que não dizer, o “puxão de orelha” que ela precisava.
Maven continua sendo um mistério. Muitos fãs da saga acreditam que ele pode se redimir ou que a mãe lhe estragou a mente. Outros já pensam que ele é mau mesmo e ponto final. A questão é: quando Maven tinha participação em algum capítulo era certeza de que seria bem empolgante. Mesmo que se fosse por bilhete. Além disso, ele descobre uma maneira de fazer com que o poder da Mare se volte contra ela: o sonador. Por incrível que pareça (Victoria Aveyard é uma gênia, sério!), Maven torna-se o catalisador da relação de Mare e Cal, de alguma forma, além de uma simples vingança.

ii

Na contracapa do livro, a sinopse deixa bem claro que se corre o risco de que Mare se torne quem está combatendo. A frase de Nietzsche consegue resumir o sentimento após a leitura do livro. No combate na prisão, quem leu sabe, nós vemos como Mare flerta perigosamente com a inclemência, quase se tornando tão cruel quanto Maven ou Elara.

Sou uma arma feita de carne, uma espada coberta de pele. Nasci para matar um rei, para acabar com um reino de terror antes mesmo de começar para valer. Fogo e eletricidade elevaram Maven, e fogo e eletricidade vão derrubá-lo.

Para quem leu, algumas questões foram levantadas e mais uma vez nos deixaram ansiosos pelo terceiro livro, ainda sem nome, chamado provisoriamente por RQ3. Aqui vão algumas delas:
– Jon é confiável?
– Maven dará algum sinal de arrependimento?
– Farley está mesmo grávida?
– Cameron será, além de uma arma essencial para a guerra contra os prateados, uma líder para o futuro de Norta?
– Os representantes de uma outra região, seriam confiáveis? Ou suas propostas são boas demais para serem verdade?
– Cal, Kilorn e os outros conseguiram fugir?
– Quantas baixas terão que sofrer para salvarem a Legiãozinha?

ArquivoExibir

Essa semana, a autora Victoria Aveyard revelou em um tweet que o terceiro livro da série será publicado em 07 de Fevereiro de 2017 e provavelmente terá lançamento simultâneo no Brasil pela editora Seguinte. Quanto ao titulo e a capa, ambos devem sair ainda em junho.

Deixe uma resposta