Resenha: A Princesa da Lapa de Danilo Barbosa

6 de novembro de 2017

Ola amores!

Tem resenha nova por aqui.

Quem ai já se encantou pela Princesa da Lapa? Uma mulher digna de seu titulo na Casa dos Prazeres.

Se ainda não foi conquistado por sua beleza, saiba que sua magia vai além de apenas formas… Vem conhece-la.

 

A Princesa da LapaA Princesa da Lapa
Danilo Barbosa

ISBN-13: 9788550300511
ISBN-10: 8550300519
Ano: 2016 / Páginas: 304
Idioma: português
Editora: Universo dos Livros

Disponível em: http://amzn.to/2iGeSUf

Sinopse: Há tempos, entre os postes brilhantes e solitários da Lapa, houve um castelo feito de amores e ilusões perdidas. Nele, entre cortinas e brocados, existiu uma bela mulher, prisioneira de sentimentos perdidos e marcada pelo desejo dos homens. Uma mulher inesquecível, que foi chamada e ovacionada como a Princesa da Lapa. Jonas é um jovem escritor capaz de escrever as mais belas histórias de amor, mas não de vivenciá-las. Por ter sido abandonado por aquela que considerava a mulher da sua vida, ele não acredita mais em finais felizes. Até que, em uma noite, uma misteriosa senhora o encontra, disposta a lhe contar a sua história… A partir do momento em que a fantástica personagem começa a se revelar ao cético criador de histórias, um novo conto de fadas se revela aos olhos dos leitores, mostrando um mundo de paixões vorazes, sensualidade, poderes supremos e a eterna luta do bem contra o mal. Sejam bem-vindos à incrível e instigante história daquela que ficou conhecida para sempre como A Princesa da Lapa.

Essa é a estória de uma mulher que foi anjo, foi luxuria, foi prazer e agora busca ser apenas ela mesma.

Forjada na sujeira e no sangue, ela se levanta para desafiar a si própria e a todos que um dia ousaram desafiá-la. Mas chegara a hora em que alguém a sua altura fará o desafio.

A Princesa foi uma criança inocente abandonada em uma casa de prostituição, A Casa dos Prazeres de Mama Mercedes.

“E, enquanto recebia a malfadada notícia sobre o início da Segunda Guerra Mundial, Mama contava que ouvira a campainha ressoar na sala, fazendo-a dar um pulo. Disse que ficara tão irritada, que nem mandara uma das meninas ir atender: fora correndo fazer isso pessoalmente, pois, dadas as circunstâncias, naquela noite não haveria expediente. Entre uma escovada e outra em meu cabelo, ela contou que nem sequer tivera tempo de xingar a infeliz alma que a importunava, porque, assim que abrira a porta e olhara para baixo, só via um bebê diante de si, “a menina mais bela que eu já havia visto em toda a minha vida”, ela dizia, e completava: “no mesmo instante, soube que uma princesa entrava em minha casa”. Não me esqueço de como aqueles olhos azuis pareciam se aquecer ao me fitar e, num desabafo, finalizava: “Pelo menos uma coisa boa aconteceu naquele dia…”

Uma casa forjada na magia de um mundo encantado que jamais seria tocado pela guerra. Um lugar que salvava os homens de seus medos, dando a eles conforto e poder para suportarem suas vidas comuns arruinadas pela guerra. A menina crescia em um conto de fadas e trazia as mulheres daquela casa um consolo, como se entre todas as lagrimas, a princesinha fosse uma lembrança de que também há coisas inocentes nesse mundo. Um anjo para purifica-las da maldade dos homens.

Mas um dia essa maldade encontrou o mundo da princesa, e foi aí que seu reino ruiu.

Ao ver sua amiga assassinada a sangue frio por Brucutu, o cafetão da casa, a Princesa que era anjo, se transformou em algo sujo como o sangue que escorria de suas pernas. Em algo indomável como seus cabelos vermelhos como fogo que agora cantavam o canto das sereias e enfeitiçavam os homens por onde passava.

Seus cabelos que outrora eram angelicais, lhe trazendo bençãos, agora eram luxuria. E sua maldição estava apenas começando.

“Quer saber quem se perdeu, na verdade, para que o meu verdadeiro ser vivesse? Foi o Amor.”

Morria ai um anjo, e nascia uma sereia composta por desejo, luxuria e poder.

“Peguei o sabonete e, com a esponja, percorri o corpo daquela nova mulher que nascia, entremeada de água e lama, como uma Afrodite moderna, desperta pela sujeira do mundo, filha do desejo e da carne que toda mulher carrega dentro de si.”

Em meio ao mundo de magia da Casa dos Prazeres, a Princesa cresceu e se tornou a mais desejada, a mais cara e a mais invejada. Mas o que ela realmente queria era provar ser imune a tudo e a todos. Mas seria mesmo?

Seria a Princesa capaz de controlar seu coração assim como fazia com os homens que se deitavam ao seu lado?

Há alguém capaz de resistir ao seus encantos?

“Era um mundo falsamente regido por homens, porque, por trás deles, sempre havia mulheres dispostas a manipular as situações com palavras doces e seduções. Isso nunca vai mudar…”

Um livro muito bem escrito, com o toque certo de luxuria e magia. Danilo Barbosa soube como criar uma história capaz de prender e incendiar nossa imaginação.  Capaz de quebrar tabus e reconstruir conceitos.

Uma história que parece não ser real, mas que vai mudar a vida do escritor que a ouve, Jonas, que deixou de acreditar no amor.

“Seriam as palavras capazes de ferir? Antes de começar este relato, já lhes afirmo: sim, são. E muito mais do que pensamos. Descobri que um simples balbuciar entredentes, se pronunciado com as sílabas certas, é capaz de fazer sangrar nosso coração.”

Assim como Jonas, a Princesa já não acredita mais no amor, mas seu mundo será virado de pernas pro ar quando um jovem, Lucas, aparecer em seu quarto e lhe negar uma noite de perdição. Ele porá a prova tudo o que a Princesa acredita, inclusive sua crença de que o amor só causa sofrimento e dor.

“Pela primeira vez, eu tinha, diante de mim, alguém à altura, que o destino tinha posto para testar as minhas verdadeiras habilidades. Mas, se ganhasse, qual seria o verdadeiro prêmio? E qual o castigo, se não fosse, pela primeira vez, a vitoriosa? Lucas brilhava diante de mim, tomado de força através de seus ideais. Era mais que um homem: personificava o macho alfa, o leão poderoso, o dominador. Seus olhos, mesmo sem me ver, pareciam flamejar, dispostos a me vencer. Ele, assim como eu, sabia, instintivamente, que estávamos em uma arena e não em um quarto, prontos a perder tudo que havíamos construído e defendido como certo.”

Quem vencerá essa batalha?

“E eu, saberei um dia descobrir o sentido do amor? Fiquei por horas caminhando sem destino. Um alucinado em busca da sua droga. Essa não é a verdadeira definição desse sentimento? Uma coisa viciante que nos aprisiona e nos faz mergulhar numa doce e amarga viagem?”

Quais serão as consequências de um amor entre um jovem e uma ninfa da Casa dos Prazeres?

Venha descobrir os segredos dessa mulher que arrebatou corações por toda a Lapa. Que encantou a todos com a magia de seus cabelos ruivos. E que teve em suas curvas o futuro de muitas famílias.

 

Fiquei apaixonada por esse livro. O modo como a história foi contada, seus personagens, o sofrimento e a magia que controla esse mundo encantado em que as meninas da Mama Mercedes vivem. É uma estória para ser devorada e relida diversas vezes. Um conto de fadas na versão magica de quem vive seus sonhos mais infames.

Um livro forte que só poderia ser escrito por alguém como o Danilo. Alguém forte e decidido, com uma língua afiada e desafiadora, mas que sabe nos seduzir com suas belas palavras.

Um belo exemplo da literatura nacional!

“Todo livro deve ser tocado, folheado e acariciado, como um amante. Pensando bem, tem como definir melhor uma obra? Ele se abre para você, permite que o toque, o devore, aspire aos seus aromas mais secretos e, como recompensa, o leva a lugares inimagináveis…”

Então não perca essa aventura fantástica que beira a luxuria, a magia e o amor.
Venha se encantar pela Princesa da Lapa.

11 Comentários