Resenha ” Amor Amargo” – Jennifer Brown

6 de abril de 2016

Título: Amor Amargo
Autor: Jennifer Brown
Ano: 2015
Nota: 5

1249-20150728134547
A Jennifer me conquistou com A Lista Negra e com Amor Amargo ela me amarrou. Posso afirmar que ela não nos decepciona nesse livro, e assim como em A Lista negra, você ficara sem palavras para descrever a sensação que essa leitura te traz.

Em Amor Amargo você acompanha a história de Alex, uma adolescente de 16 anos que está no último ano escolar e junto com seus melhores amigos Bethany e Zach planeja uma viagem para a cidade de Colorado para comemorar a formatura.
Apesar dos melhores amigos, Alex se sente solitária e carrega uma grande dor: A perda da mãe em um acidente de carro quando tinha apenas 8 anos. Em sua casa convive com seu pai ausente e desinteressado em dá qualquer explicação sobre a morte da mãe, e com sua irmã Celia, que também pouco fala da mãe e vive em seu mundo de arrogância e grosseria.
Com todas as inseguranças que carrega, Alex não deixa de sonhar para alcançar seu principal objetivo, é boa aluna e se esforça em juntar dinheiro trabalhando em uma lanchonete da cidade.
Sua vida muda, quando vira monitora de Cole, um lindo garoto que acaba de mudar para o colégio e precisa recuperar as notas para entrar no time de basquete. Cole é um perfeito cavaleiro, educado, galanteador e tem todas qualidades que você posa imaginar.
Com as aulas diárias, logo a amizade se intensifica e os dois se apaixonam…

“Até aquele momento jamais havia pertencido a alguém, não assim. Cole me tinha por inteiro: corpo, alma e coração. E era libertador.
Quase como estar no topo de uma montanha.”

… e ai tudo acontece. Cole logo revela seu lado possesivo e ate agressivo.

“Eles não entendiam Cole. Não entendiam o que eu sentia por ele. Não entendiam que certas coisas, como seu jeito de me acariciar e de me olhar nos olhos, cheio de ternura, não desapareciam de uma hora para outra só porque ele tinha ficado nervoso e perdido a cabeça.”

Posso dizer que a Jennifer é perfeita em descrever temas intensos com palavras leves. Em cada capitulo você se sente confusa com os seus próximos sentimentos, não sabe se acusa ou defende, se julga ou ajuda.

“Eles não entendiam Cole. Não entendiam o que eu sentia por ele. Não entendiam que certas coisas, como seu jeito de me acariciar e de me olhar nos olhos, cheio de ternura, não desapareciam de uma hora para outra só porque ele tinha ficado nervoso e perdido a cabeça.”

Rapidamente Alex se torna uma vitima da violência contra mulher e a autora não falhou em descrever como uma mulher que ama e passa por essa situação se sente.

“Ele soltou o meu pescoço e eu desabei no chão, cobrindo o rosto com as mãos enquanto soluçava. Amedrontada demais para correr . Pasma demais para continuar em pé. Machucada demais para ser corajosa, revoltada ou qualquer outra coisa além de arrasada.”

A leitura é impactante e transformadora, muitas vezes julgamos meninas ou mulheres que permanecem em relacionamentos abusivos, mas em cada página você percebe que também seria capaz de se sentir “merecedora” de cada murro quando se tem um homem manipulador ao lado.

“Como era possível que fosse o mesmo cara que tinha colocado a mão sobre a minha, com todo o carinho do mundo, dedilhando cordas de violão e transformando em música o meu poema? Como era possível que fosse a mesma pessoa em quem havia depositado toda a minha confiança no topo do vertedouro? Que tinha beijado minhas pálpebras no seu quarto?”

No mesmo padrão que A lista Negra, o livro é reflexivo e informativo, te apresentando os vários lados que uma relação pode ter e que é extremamente importante manter o dialogo sincero com pais ou amigos. E não podemos esquecer a principal lição de ambas as obras, antes de julgar devemos nos colocar no lugar da pessoa.

Boa Leitura.

2 Comentários