Resenha: O CASAMENTO – Victor Bonini

7 de Fevereiro de 2018

– Diana, aconteceu um crime lá dentro! – E antes mesmo de amparar a noiva, que despencou com o choque, Oscar emendou: – Puta merda, eu preciso de uma bebida…

 

E aí, meus amores literais.

Imagine você, noiva, esperando seu casamento começar, até que alguém chega e joga a bomba no seu colo: alguém foi morto. É isso que acontece com o casal Diana & Plínio.

A celebrante do casório foi assassinada com uma facada no pescoço poucos minutos antes da cerimônia.

Conrado Bartelli, detetive particular, advogado e amigo da família, se vê envolvido até o pescoço, já que não estava ali somente para participar, e sim investigando uma série de ameaças recebidas por seu cliente, Ricardo Gurgel. Acontece que a pessoa assassinada era uma tia de Ricardo, sendo que acontecimentos posteriores apontam para o envolvimento da chantagista.

Muito perturbado com a cena de assasinato mórbida, ele começa a investigar o crime por si próprio, até que… Um segundo corpo é encontrado na cozinha do hotel, e à partir daí ele se vê no meio de um quebra-cabeças na busca pelo assassino.

Que livrão! Com uma linguagem leve, quase do dia-a-dia mesmo, Victor conseguiu empreender uma trama que te prende o tempo todo. Ele vai e volta no tempo na construção da história, mostrando um pouco de cada um dos envolvidos no caso.

De todos os detetives literários que já conheci, de longe o Lyra, Conrado, ganha por seu jeito calmo e até mesmo… doce, eu diria?

Ele navega por personagens super humanos, expondo defeitos e qualidades de forma bem real, e deixa ver a podridão da sociedade. Não tem aquela de personagens fabulosos, impecáveis, sem nenhum defeito, nada disso. O Casamento traz a realidade nua e crua.

É tão tangível que se devanearmos um pouco podemos nos confundir e pensar que O Casamento aconteceu aqui, na nossa cidade.

Foi a primeira vez que li um livro com a linguagem tão fluida, os diálogos são  descritos da mesma forma como falamos:

– Epa, o combinado eram cem! Aqui tem oitenta.

– Nunca teve combinado nenhum.

– Nem vem, barbudo. Pagou cem uma vez, tem que pagar cem em todas. Ou mais.

– Sem chance. Meu dinheiro tá acabando.

– Me paga mais vinte que você vai ver que vai dar sorte.

Isso pode incomodar algumas pessoas, mas para mim foi super fácil de lidar. Inclusive, percebi que tornou minha leitura mais rápida e vívida, eu podia imaginar com clareza as conversas rápidas na minha cabeça.

E o final… Minha gente. Eu não esperava! É totalmente surpreendente. Não sei vocês, mas na minha opinião não dá para descobrir de antemão quem é ou são ou culpados. O Vitor fez bem o dever de casa de esconder as pistas e te ludibriar bonito. Hehe

Uma pérola da literatura brasileira que precisa ser conhecida. Espero que tenham gostado, meus amores.

Beijinhos e até a próxima =*

1 Comentário

  • Adorei sua resenha!
    Tu sabe que estou de olho nesse livro desde que me mostrou né!!!
    Agora com a resenha preciso desesperadamente ler. Adoro esses mistérios insolucionaveis que nos fazem quebrar a cabeça para acertar. Ainda mais com uma capa tão linda!!!!