Resenha Pax – Sarah Pennypacker

9 de setembro de 2016

 


Livro: Pax Autora: Sara Pennypacker Editora: Intrínseca Ano: 2016

   Impressionante e comovente! Recomendo a todos os leitores, de qualquer idade, que leiam Pax.

          No livro encontramos a história de Peter e Pax, um menino e sua raposa. Peter resgatou Pax quando era apenas um filhote. O amor entre os dois é incodicional, se conhecem tão bem que se sentem ligados por um fio invisível. As coisas mudam quando chega a guerra. O pai de Peter (um sujeito por quem desenvolvi um desgosto, que parei de sentir apenas nas últimas páginas do livro, sério às vezes ele é muito babaca), se alistou no exército e deixou Peter na casa de seu avô, porém obrigou Peter a abandonar sua raposa em um bosque. Sem mãe, sem pai e agora sem raposa, Peter decide fugir da casa de seu avô, atrás de Pax. Caminha longos trajetos e se encontra com Vola, uma mulher solitária, que desistiu do mundo depois de ver a verdade sobre a guerra, Peter decide tentar ajudá-la a ter uma vida normal, enquanto a moça o ajuda a se preparar pra o resto do caminho que terá que seguir para se encontrar com sua raposa. Enquanto isso, Pax também decide ir atrás de seu menino, porém depois de passar um tempo com outras raposas, se afeiçoa a elas e se acostuma à vida no bosque. Ambos vivem experiências de crescimento em suas jornadas, descobrindo coisas que não sabiam sobre o mundo e sobre si mesmos. O livro traz um lado diferente da guerra, mostra a verdade, aquilo que ninguém quer comentar. A autora mostra as consequências da guerra em vários sentidos, como nos sentimentos de Vola, na inocência de Peter, na frieza do pai de Peter e nas dificuldades que os animais tem que passar durante a guerra através de Pax.

     Leitores de Extraordinário  (R. J. Palacio), O caçador de pipas (Khaled Hosseini) e O menino do pijama listrado (John Boyne) vão amar esse livro!

Alguns quotes de Pax:

    ‘A verdade mais simples pode ser a coisa mais difícil de enxergar quando envolve a nós mesmos. Se você não quiser ver a verdade, vai fazer o que for preciso para disfarçá-la.’ (Vola)

‘Só estou dizendo que, apesar de uma coisa ruim ter destruído você, a gente sempre pode recomeçar do zero como a fênix e…’ (Peter)

screenshot_2016-09-07-01-03-02-1

     Opinião: Amei o livro, me surpreendeu muito! A autora fez um misto de situações que me fizeram querer rir, chorar e ter vontade de socar a cara do pai do Peter (nem nome a autora deu pra ele kkkk). Me impressionou a personagem Vola, de primeira não gostei muito dela, mas depois que a autora contou a verdadeira história da personagem não tive como não me apegar. Pax e Peter com certeza chamam a maior atenção, não apenas por serem os protagonistas (o que ajuda bastante kkkk), mas por ilustrarem de uma maneira simples e direta, o crescimento e a descoberta de si mesmo.

        O livro tem ilustrações lindíssimas! Vale a pena conferir!

Por: Juliana Cappeletto

20160907_010552